Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

AS MINHAS VIAGENS

RONDA: BERÇO DO TOUREIO NO CENTRO DA ROTA HISTÓRICA DE ALMORÁVIDAS E ALMÓADAS

06.06.18 | António Lúcio / Barreira de Sombra

O nosso destino, cerca de 520 kms a sudeste de Lisboa, é o berço da tauromaquia com Pedro Romero  que ali nasceu a 19 de novembro de 1754 e onde viria a falecer a 10 de fevereiro de 1839, tendo criado e codificado as bases do toureio a pé, para além de ter executado como poucos a sorte de matar.

 

Mas antes de atingirmos o nosso destino, paragem obrigatória noutra importante cidade, capital da Andaluzia, Sevilla, onde as manifestações de fé estão um pouco por toda a monumental cidade, a par da sua importância tauromáquica, com a sua imponente e lindíssima praça de toiros da Real Maestranza de Caballeria e onde teve lugar a importante Feria de abril, uma das mais importantes feiras taurinas do Mundo.

É, pois, ponto obrigatório, fazer um tour pela Sevilla monumental e depois ir aos toiros, como o fizemos e pudemos desfrutar do respeito do público pelos toureiros e escutar e sentir esses sentidos e profundos olés que marcam as boas tardes de toiros. Pela noite, obrigatório assistir a um dos muitos espectáculos de flamenco que a cidade nos oferece. E, não menos importante, uma visita á Catedral ou á Macarena, pontos religiosos de capital importância na vida da capital hispalense. O Parque Maria Luisa,  Isla Mágica e outros parques são emblemáticos em Sevilla assim como as suas inúmeras igrejas e irmandades, tão importantes na Semana Santa, vivida de forma intensa e única me todo o Mundo católico.

 

Arrancamos bem cedo pelas estradas que nos levarão ao parque natural da Sierra de Grazalema, onde pudemos ver um enorme bando de abutres  em voos circulares e a localidade histórica de Zahara de la Sierra a cujos pés de estende uma enorme barragem e é um dos pontos principais nesta Rota de Almorávidas e Almóadas. Campos dourados de espigas de trigo e o contraste com o verde e amarelo dos enormes campos de girassóis que dão uma nova cor e esplendor redobrado no Sul da Andaluzia.

Ao fim de cerca de 1h30 de viagem atingimos a cidade de Ronda. Geograficamente podemos afirmar que Ronda é uma cidade instalada no cume de uma montanha a 739 metros de altitude, na província espanhola de Málaga, na Andaluzia, que se encontra dividida em duas por um desfiladeiro profundo. Este desfiladeiro (El Cañon del Tajo) separa a cidade nova, fundada aproximadamente no século XV, da cidade velha, que data da ocupação moura.  A chamada Puente Nuevo (Ponte Nova) é uma ponte em pedra que atravessa o desfiladeiro e tem um miradouro para desfrutar das vistas panorâmicas, de que poderá desfrutar em algumas das magníficas fotos de Dina Pelicho.

A Praça de Toiros da cidade nova, uma lendária praça de touros do século XVIII, é um dos pontos de referência mais visitados da cidade, em estilo neoclássico foi inaugurada em 1785 e tem capacidade para abrigar até 6000 pessoas. Hemingway e Orson Wells era presença constante nas suas corridas dada a amizade que tinham com Antonio Ordoñez. Ao lado da porta principal da praça, estão as estátuas de Cayetano Ordoñez “El Niño de la Palma” e de Antonio Ordoñez, figuras de referência do século passado e que com as corridas goyescas aí organizadas deram uma projecção diferente e para cima á praça de Ronda pelo marketing e publicidade em seu redor criados.

 

A pouco metros, um parque verde muito bem cuidado, como aliás toda a cidade, permite que nos a acerquemos ao cimo do penhasco e nos apercebamos da altura a que nos encontramos. Numa das ruas existentes no parque e já depois de termos admirado a escultura do toiro na lateral da praça de toiros, damo-nos conta de que no passeio estão uns capotes em pedra com os nomes dos toureiros da família Ordoñez, representando tudo quanto foram e são importantes para a tauromaquia rondeña onde também portugueses marcaram presença.

 

Dando uma volta pela cidade, pejada de turistas, chegamos à Ponte, ao Cañon del Tajo marcado pelos seus cerca de 120 metros de altura e 68 de largo por baixo da qual corre o rio Guadalevin com algumas bonitas cascatas. Na base do penhasco sobre o qual se ergue a majestosa cidade, várias quintinhas de estilo bem andaluz.

Na cidade existem muitos hotéis e muitas outras hipóteses de alojamento assim como parques de estacionamento apesar dos preços não serem baratos, tal como no capítulo da gastronomia. Mas também num sítio tão turístico com milhares de visitantes por todos os lados como tivemos oportunidade de verificar. A nossa estadia foi no taurino hotel Plaza de Toros a menos de 30 metros da Porta 2 da Praça de Toiros de Ronda.

 

Você deve aproveitar bem o tempo para poder visitar o Palácio Mondragon, a Iglesia de Santa Maria la Mayor, a Plaza Duquesa de Parcent, o Museo del Bandolero, La casa de Rey Moro, e os Banhos Árabes.

 

As paisagens são, em alguns casos, de suspender a respiração. Aconselhamos que faça a sua visita entre Março e Junho ou entre Setembro e Outubro, com umas temperaturas muito agradáveis.

 

Texto: António Lúcio

Fotos: António Lúcio/Dina Pelicho