Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

AS MINHAS VIAGENS

AS MINHAS VIAGENS

UMA VOLTINHA POR PENICHE

31.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Nesta altura do ano a azáfama em torno das Festas em Honra de Nossa Senhora da Boa Viagem teria quase que impossibilitado o acesso ao porto de mar, de onde partem e chegam as embarcações que fazem a ligação á ilha da Berlenga, pois os forasteiros seriam aos milhares... Mudam-se os tempos devido à pandemia e, apesar disso, havia algum "cheiro" a festa pois as barracas das faruras lá estavam e havia alguns pontos na costa onde esta montado o fogo de artifício.

Restaurantes cheios ou bem perto disso, com esplanadas e algum controle de certificados, e nada melhor para começar a visita a alguns pontos de Peniche do que almoçar num dos muitos e bons restaurantes da localidade. Escolhemos uma magnífica caldeirada, com muita variedade de peixe e enorme qualidade, num restaurante onde a simpatia dos funcionários é de realçar.

Depois do repasto, dirigimo-nos para a zona envolvente ao Cabo Carvoeiro onde pudemos registar algumas boas fotos.

 

E para rematar, um artesão expunha os seus barcos miniaturas para deleite de todos quantos aí paravam...

 

Visite Peniche.

Texto e fotos: António Lúcio

 

MAIS UMA VOLTINHA DE FINAL DE TARDE...

24.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Com todas as limitações impostas e mais aquelas que nos impomos, os finais de tarde na liberdade que a natureza nos permite, encontramos sempre algo de diferente para fotografar.

IMG_1393.JPG

Túnel de árvores, estrada Trancoso/A-do-Barriga

IMG_1388.JPG

Cardo seco

IMG_1389.JPG

Marco Geodésico, proximidades de Arranhó

IMG_1390.JPG

Abrunhos selvagens - estrada de Trancoso

IMG_1394pb.JPG

Cristo-Rei, Amoreiras e Pilares da Ponte 25 de Abril vistos do Forte da Carvalha

IMG_1395.JPG

Moinho antigo, proximidades Forte da Carvalha

IMG_1398.JPG

Cevada pronta a ser colhida, Camondes (proximidades)

IMG_1400.JPG

Estranhos recortes, Alqueidão

IMG_1401.JPG

Triângulo vinhateiro - Alqueidão

SOBREIROS E CORTIÇA, UMA RIQUEZA NATURAL DE GRANDE IMPORTÂNCIA

20.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

IMG_1338.JPG

Algumas pessoas olham para cortiça como produtora de rolhas e esquece a enorme importância desta matéria-prima que se extrai do sobreiro, uma das árvores resistentes ao fogo e que é de enorme importância na nossa floresta. É uma árvore que pode atingir vários metros de altura, ter frondosas copas e durar centenas de anos se bem cuidada.

Na região do Oeste é uma das espécies dominantes a par do pinheiro e do eucalipto, quiçá a de menor área ocupada. Nas armas do Município de Sobral de Monte Agraço, um sobreiro domina a parte central. Isto explica bem a sua importância.

A convite do António Pereira, fomos até à zona do Turcifal (Torres Vedras), para assistir à tiragem da cortiça feita por uma equipa de 7 homens, na manutenção de uma tradição que passa pelas várias gerações e que se transmite de pais para filhos. É uma actividade dura fisicamente e que exige alguns conhecimentos no manejo preciso dos machados de gume muito aguçado para cortar a cortiça prevendo milimetricamente a sua espessura para não provocar cortes (feridas) no tronco da árvore.

Os homens marcam certeiramente os golpes e procuram cortar as pranchas ou placas, chamemos-lhes assim, com o maior tamanho possível e com os diâmetros das árvores de onde as separam depois com a parte inferior do machado, como poderão ver nas fotos que ilustram este nosso trabalho.

Algumas árvores produzem e permitem a extração de cortiça de elevada categoria, economicamente mais interessante pelos preços que pode atingir por arroba, e outra de menor qualidade e destinada a ser moída e aproveitada para muitos e diversos fins. A primeira selecção é feita logo ao ser colocada em montes  distintos e até dentro de sacas (as partes mais pequenas).

Esta acção de tirar a cortiça é também muito importante para a vitalidade e saúde fitossanitária dos sobreiros e para a limpeza dos espaços florestais onde se inserem estas importantes manchas de árvores.

Da floresta vão para as empresas que tratam a cortiça e a transformam em múltiplos produtos que se utilizam um pouco em tudo da nossa vida, dos isolamentos acústicos e térmicos, a produtos do dia a dia, às rolhas e um enorme conjunto de produtos. E a não esquecer, ainda dão as célebres bolotas que além de tornarem extraordinária a carne dos suínos, é hoje aproveitada para fazer pão e bolos…

O nosso obrigado ao António Pereira e à sua equipa por esta manhã diferente em pleno campo.

Texto e fotos: António Lúcio

 

 

GOVERNO DEFINE REGRAS: DESCONFINAMENTO NÃO AVANÇA

01.07.21 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Com base no crescimento de casos, subida de incidência e de Rt, o Conselho de Ministros decidiu não avançar com o desconfinamento e com algumas situações em que os concelhos abrangidos retrocedem.

Existem mais 16 concelhos (são agora 19) na situação de risco muito elevado. São eles: Albufeira, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Constância, Lisboa, Loulé, Loures, Mafra, Mira, Moita, Odivelas, Oeiras, Olhão, Seixal, Sesimbra, Sintra e Sobral de Monte Agraço

Nestes concelhos aplicar-se-ão a partir de amanhã, 6ª feira dia 2 de julho as seguintes regras:

  1. Limitação da circulação na via pública a partir das 23h00.
  2. Teletrabalho obrigatório quando as atividades o permitam;
  3. Restaurantes, cafés e pastelarias podem funcionar até às 22h30 durante a semana e até às 15h30 ao fim de semana e feriados (no interior, com um máximo de 4 pessoas por grupo; em esplanada, 6 pessoas por grupo);
  4. Espetáculos culturais até às 22h30;
  5. Casamentos e batizados com 25 % da lotação;
  6. Comércio a retalho alimentar até às 21h00 durante a semana e até às 19h00 ao fim de semana e feriados;
  7. Comércio a retalho não alimentar e prestação de serviços até às 21h00 durante a semana e até às 15h30 ao fim de semana e feriados;
  8. Permissão de prática de modalidades desportivas de médio risco, sem público;
  9. Permissão de prática de atividade física ao ar livre até seis pessoas e ginásios sem aulas de grupo;
  10. Eventos em exterior com diminuição de lotação, a definir pela DGS;
  11. Lojas de Cidadão com atendimento presencial por marcação.

 

Aumentou de 14 para 26 o número de concelhos de risco elevado. A saber: Alcochete, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Avis, Braga, Castelo de Vide, Faro, Grândola, Lagoa, Lagos, Montijo, Odemira, Palmela, Paredes de Coura, Portimão, Porto, Rio Maior, Santarém, São Brás de Alportel, Sardoal, Setúbal, Silves, Sines, Sousel, Torres Vedras e Vila Franca de Xira

Nestes concelhos aplicam-se as seguintes regras:

  1. Limitação da circulação na via pública a partir das 23h00.
  2. Teletrabalho obrigatório quando as atividades o permitam;
  3. Restaurantes, cafés e pastelarias podem funcionar até às 22h30 (no interior, com um máximo de 6 pessoas por grupo; em esplanada, 10 pessoas por grupo);
  4. Espetáculos culturais até às 22h30;
  5. Casamentos e batizados com 50 % da lotação;
  6. Comércio a retalho alimentar, não alimentar e prestação de serviços até às 21h00;
  7. Permissão de prática de todas as modalidades desportivas, sem público;
  8. Permissão de prática de atividade física ao ar livre e em ginásios;
  9. Eventos em exterior com diminuição de lotação, a definir pela Direção -Geral da Saúde (DGS);
  10. Lojas de Cidadão com atendimento presencial por marcação.

 

Existem 26 concelhos em alerta: Alcochete, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Avis, Braga, Castelo de Vide, Faro, Grândola, Lagoa, Lagos, Montijo, Odemira, Palmela, Paredes de Coura, Portimão, Porto, Rio Maior, Santarém, São Brás de Alportel, Sardoal, Setúbal, Silves, Sines, Sousel, Torres Vedras e Vila Franca de Xira.

Para estes concelhos em alerta e os outros que compõem o restante território continental nacional, excepto os que estão situação de risco elevado e muito elevado mantêm-se as actuais regras:

  1. Teletrabalho recomendado nas atividades que o permitam;
  1. Restaurantes, cafés e pastelarias (máximo de 6 pessoas no interior ou 10 pessoas em esplanadas) até à meia-noite para admissão e 1h00 para encerramento;
  2. Comércio com horário do respetivo licenciamento;
  3. Transportes públicos com lotação de dois terços ou com a totalidade da lotação nos transportes que funcionem exclusivamente com lugares sentados;
  4. Espetáculos culturais até à meia-noite;
  5. Salas de espetáculos com lotação a 50%;
  6. Foras das salas de espetáculo, com lugares marcados e com regras a definir pela DGS.
  7. Escalões de formação e modalidades amadoras com lugares marcados e regras de acesso definidas pela DGS;
  8. Recintos desportivos com 33% da lotação;
  9. Fora de recintos aplicam-se regras a definir pela DGS.

Proibição de circular de e para a Área Metropolitana de Lisboa:  a proibição de circular de e para a Área Metropolitana de Lisboa (AML) vai ser aplicada entre as 15:00 de sexta-feira e as 06:00 de segunda-feira, com as exceções previstas na lei. Como é do conhecimento geral, a AML é composta por 18 municípios da Grande Lisboa e da Península de Setúbal, designadamente Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.