Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

AS MINHAS VIAGENS

AS MINHAS VIAGENS

NO ÚLTIMO DIA ANTES DO ESTADO DE EMERGÊNCIA, VIVER O INÍCIO DA PRIMAVERA NO CAMPO E NA PRAIA

22.03.20 | António Lúcio / Barreira de Sombra

Quem vive no campo pode sempre encontrar nas coisas mais simples as coisas mais belas da vida. Com o início da Primavera, algumas árvores a florir em pleno e já com alguns frutos bem visíveis, aproveitemos estas horas de alguma liberdade para desfrutar do campo e da praia, das suas magníficas paisagens e cheiros únicos.

 

 

 

A PRAIA DO KM 5 – UM PARAÍSO NA COSTA DE TRÓIA

15.03.20 | António Lúcio / Barreira de Sombra

P1010798.JPGQuisemos baptizá-la com este nome porque se situa no Km 5 da estrada que liga a Comporta a Tróia e porque se trata de um autêntico paraíso natural protegido por dunas quase virgens onde a fauna e a flora estão bem protegidas pelo Homem que as respeita e percorrer caminhos delineados por todos quantos percorrem os cerca de 2 quiilómetros desde a estrada até atingir as águas límpidas e cristalinas do Atlântico.

Clique no link para assistir ao vídeo da praia do KM 5

http://videos.sapo.pt/24tVy8NIAJVCvZIM9OWW

O caminho não é fácil nem sequer acessível a todos quantos gostariam de poder desfrutar desse local único, mágico pela paz e serenidade que desperta todos os sentidos do Homem e onde se escuta o mar no seu diálogo constante com a areia e com as conchas que é fácil encontrar na beira mar. Esse diálogo que nos envolve e nos devolve ao mais íntimo de cada um de nós e que nos permite absorver tudo quanto esse calma e placidez nos permite.

A fauna é diversa e típica das dunas. Os pinheiros ganham formas tão diferentes quanto o local das dunas onde se encontram e o vento os força a adoptar. É possível encontrar, para além dos vulgares pardais-telhado, alguns lagartos com cores vistosas e que não se assustam com a presença do ser humano.


Já na praia, a vista é avassaladora: quiilómetros e quilómetros de areia e dunas para norte e para sul, por mais de 30 quilómetros; a praia com suaves ondas, águas límpidas e cristalinas a convidar a um mergulho e ao banho e as dunas que permitem abrigar-nos da aragem que por vezes corre mais forte e aproveitar para retemperar forças depois de uma caminhada á beira-mar ou do esforço que foi passar dunas e dunas, subidas e descidas pela areia solta até atingir esse espaço magnífico, felizmente ainda longe “da civilização” e que urge preservar antes que a construção desenfreada na zona da Comporta o venha a transformar para muito pior.

Desta praia magnífica e quiçá única na zona, caminhamos para Sul. Nas aldeias continuam a criar-se os animais de capoeira como os galos; a vermos as elegantes cegonhas nos seus ninhos; e praias e mais praias circundadas pelos grandes pinhais. A Comporta, Carvalhal e Pego… Depois Melides e a sua Lagoa e a Lagoa de Santo André e a sua praia. Todas muito semelhantes e a merecerem visitas e uns mergulhos.

E quando se percorrem estes espaços, é natural que, um pouco mais cedo ou um pouco mais tarde, seja necessário tomar alguma refeição. Pois bem, almoçámos no Carvalhal, no Restaurante Granhão. Sem pretensiosismos, atenciosos e com uma carta curta mas que qualidade, apreciámos a sua Sopa de Tomate com Peixe e Choco Frito com batatas fritas, os quais, para além dos excelentes temperos estavam simplesmente deliciosos.

 

De Lisboa pela A2 e com saída em Alcácer do Sal seguindo em direcção a Comporta/Tróia e depois para Sul até à Lagoa de Santo André ou subindo de Grândola para Tróia, tem muito para visitar e desfrutar.


Texto: António Lúcio
Fotos: Dina Pelicho e António Lúcio