Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

AS MINHAS VIAGENS

AS MINHAS VIAGENS

TAPADA DE MAFRA, EQUILIBRIO NA BIODIVERSIDADE. UM LOCAL PARA IMPORTANTES APRENDIZAGENS

29.06.19 | António Lúcio / Barreira de Sombra

IMG_5425.JPG

Situada no concelho de Mafra, distrito de Lisboa, tem a sua entrada principal na localidade de Codeçal, recebendo o seu portão este nome.

A Tapada é uma floresta com um enorme valor no que à biodiversidade diz respeito e é um local de constante aprendizagem sobre as espécies que a povoam e de que podemos desfrutar durante as visitas, sejam no comboio que efectua um percuro de cerca de 16 kms, seja em passeios pedestres ou de BTT.

Para além de gamos, veados e javalis, outras espécies habitam esta área protegida: anfíbios, répteis, aves da rapina e outras, raposas, ginetas e saca-rabos, doninhas ou texugos são avistáveis em várias ocasiões. Existe também uma colónia de morcegos.

A visita, que tem início no Portão do Codeçal após uma apresentação sobre a apicultura, dura cerca de 2 horas e termina com uma demonstração de aves de rapina (falcoaria).

É um passeio aconselhável para as crianças poderem desfrutar deste contacto com a natureza e aprenderem um pouco mais sobre conservação das espécies e dos habitats.

Notas históricas sobre a Tapada de Mafra

D. João V, o “Rei Magnânimo” (1689-1750), mandou construir um Palácio-Convento na Vila de Mafra em cumprimento da promessa que fez, caso a Rainha lhe desse descendência.
Este grandioso monumento, construído numa época de grande prosperidade real, em resultado da exploração de ouro e diamantes do Brasil, constitui uma obra-prima do Barroco Português.

A Real Tapada de Mafra foi criada em 1747 com o objectivo de proporcionar um adequado envolvimento ao Monumento, de constituir um espaço de recreio venatório do Rei e da sua corte e ainda de fornecer lenha e outros produtos ao Convento.

Com uma área de 1200 hectares, a Real Tapada de Mafra era rodeada por um muro de alvenaria de pedra e cal, com uma extensão de 21 Km.

A Tapada foi dividida em três partes separadas por dois muros construídos em 1828, estando actualmente a primeira, com 360 hectares, sob administração militar.

Desde o século XVIII até à Implantação da República, a Real Tapada de Mafra foi local privilegiado de lazer e de caça dos monarcas portugueses, sendo contudo, nos reinados de D. Luís (1861-1899) e de D. Carlos (1899-1908) que a Tapada conheceu o seu período áureo como parque de caça.

Com a implantação da República passou a designar-se Tapada Nacional de Mafra (TNM), sendo utilizada fundamentalmente para o exercício da caça e para actos protocolares.

A partir de 1941 foi submetida ao regime florestal total, sob tutela da Direcção-Geral dos Serviços Florestais e Aquícolas, passando a ser gerida numa perspectiva mais ambiental.

Em 1993 a TNM foi concessionada à Empresa Nacional de Desenvolvimento Agrícola e Cinegético (ENDAC), uma sociedade de capital exclusivamente público na dependência do Ministério da Agricultura.

A partir de 1998 é criada uma Cooperativa de Interesse Público para aproveitamento dos recursos da TNM, com o Estado a deter posição maioritária no seu capital social, em parceria com a Câmara Municipal de Mafra e entidades privadas.

In http://tapadademafra.pt/pt/historia/

APICULTURA

GAMOS E VEADOS

JAVALIS

AVES DE RAPINA

CARRUAGENS

 

 

 

 

 

Fotos: António Lúcio