Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

AS MINHAS VIAGENS

UMA VISITA ÁS GRUTAS DA SERRA DE AIRE

10.01.19 | António Lúcio / Barreira de Sombra

No maciço calcário das Serras de Aire e Candeeiros e que deream origem ao Parque Nacional da Serra de Aire e Candeeiros, a história da evolução da Terra pode ser admirada em diversas grutas que estão abertas ao público durante todo o ano e nos permitem ver lagos e rios interiores, quedas de água, as magníficas estalactites e estalagmites que produzem formas bem interessantes. 

Aqui fica um conjunto de fotos das Grutas da Moeda.

 

PASSAGEM DE ANO NO SADO: UMA EXPLOSÃO DE COR

01.01.19 | António Lúcio / Barreira de Sombra

IMG_7795.JPG

De um lado a península de Tróia, do outro a excelência da Serra da Arrábida, o Forte de São Filipe e, um pouco mais longe no horizonte, o magnífico Castelo de Palmela e a cidade de Setúbal, formam um anfiteatro espectacular para viver em pleno esse rio único que é o Sado, lar de muitas espécies piscícolas, de aves e outras espécies animais, e onde a comunidade de golfinhos (roazes) é única no País e merece ser protegida por todos nós.

No último dia do ano, enquanto uns se uniam frente aos palcos espalhados na baixa ribeirinha de Setúbal acompanhando os espectáculos musicais, um grupo mais aventureiro embarcou no cais dos ferries e zarpou para esse estuário único no País e que alguns, não se sabe bem a troco de quê ou de que valores, não entendem a necessidade da sua preservação como habitat de espécies também elas únicas, para desfrutar de uma passagem de ano diferente. Champanhe e passas eram distribuídos á entrada, não faltando pão com chouriço e caldo verde; música com DJ e um mestre de embarcação que até colocou o barco a rodopiar sobre si próprio…

À meia-noite em ponto, uma explosão de cores, de desenhos fantásticos no céu e que se prologaram durante cerca de 15 minutos para deleite de miúdos e graúdos, muitas das vezes nos levando para o imaginário do nascimento do Mundo, com as explosões das grandes estrelas. Momentos que as nossas objectivas registaram e aqui vos deixamos.

Texto: António Lúcio

Créditos fotográficos: Dina Pelicho / António Lúcio